Valores – Conduta = Zero

Valores – Conduta = Zero

Conhecimento Maná da Semana Transformação e Crescimento Espiritual

Meu amigo Roger recentemente retornou de um curso de graduação de seis semanas em uma das principais faculdades de economia. O comentário de um de seus professores fez com que Roger repensasse sua visão pessoal sobre a forma de moldar a cultura de sua empresa.


Acreditando firmemente em ter valores específicos por escrito em sua empresa, a forma de pensar de Roger começou a mudar depois de seu professor comentar que “os valores não são a solução”. Isso lembrou a Roger que o não viver de acordo com tais valores – não praticá-los –  tem um potencial para causar danos à empresa ainda maior do que simplesmente não ter valores verbalizados.

Ao ponderar sobre aquela simples afirmação, Roger se deu conta de que valores precisam se traduzir em comportamentos, caso contrário não têm sentido algum, não valem o papel em que foram escritos.  Infelizmente, vemos esse tipo de visão ambígua muito presente na sociedade contemporânea. As pessoas professam certos valores com palavras ousadas, mas suas ações pouco evidenciam que elas realmente acreditam nos ideais que reivindicam abraçar.

Uma passagem bíblica fala sobre isso. Tiago 2:17 ensina: “…a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta.” Isso não tem a intenção de negar a existência da fé – ou valores – de uma pessoa, mas sim mostrar que sem serem vividos e demonstrados pela conduta em todas as áreas da vida – inclusive no trabalho – os valores que expressamos exercerão pouco impacto em nossas empresas ou sobre aqueles com quem interagimos no dia a dia.

Muitas companhias têm por escrito declarações de missão ou propósitos, mas algumas também as exibem em áreas de destaque e as discutem periodicamente. Isso serve para lembrar a todos, do CEO aos trabalhadores eventuais, os valores que servem para alicerçar a forma como a organização opera e como se espera que cada indivíduo a represente. No processo, isso estabelece a cultura da empresa que baliza suas decisões e comportamento.

Geralmente podemos rastrear os valores corporativos até as práticas estabelecidas desde a criação da empresa. Tais valores, porém, podem mudar ou se perder ao longo do tempo, a menos que seus líderes os afirmem constantemente, expressando-os por escrito e praticando-os consistentemente. Para os seguidores de Cristo, os valores que endossamos e demonstramos devem estar fundamentados nos ensinamentos da Bíblia.

Por exemplo: “…em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam…” (Mateus 7:12). Este é um valor que permanece em destaque na mente de todos na empresa ou somente é praticado quando é benéfico para as metas da companhia? Será que todos enfatizam a honestidade e a integridade em todas as tratativas de negócios, mesmo que isso signifique pôr em risco o fechamento de vendas ou contratos? Aqui está um exemplo do que as Escrituras dizem sobre isso: “O Senhor odeia lábios mentirosos, mas Se deleita com os que falam a verdade.”  (Provérbios 12:22). 

Nós devemos nos lembrar do adágio: “Falar é fácil!” O que nos capacita a sobressairmos como embaixadores de Jesus Cristo autênticos e frutíferos é vivermos e conduzirmos nossos negócios de modo coerente com o que reivindicamos crer. Um lema conhecido nos alerta: “Se suas palavras não se alinham com sua conduta, quanto menos falar melhor.” 

Como Roger aprendeu, valores são importantes para um negócio, mas nem de longe tão importantes quanto estimular e ensinar sua equipe a se conduzir de acordo com esses valores.

Questões Para Reflexão ou Discussão

1.  Como você descreveria os valores de sua companhia? Eles são expressos de forma que todos ligados à organização compreendam claramente o que são e o que significam na prática?

2.  Sua empresa opera de forma coerente com os valores que reivindica acreditar? Explique sua resposta.

3.  Você acredita que uma empresa possa estabelecer uma cultura de modo de pensar e agir sem comunicar seus valores de forma consistente e intencional? Por quê?

4.  Em termos de valores pessoais, para você, o que é mais importante? Você vive de forma coerente com isso? Se você reconhece que há falhas entre o que crê e seu comportamento ou a forma como se conduz no trabalho, como poderia modificar isso?

Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Provérbios 10:9;  13:6;  16:2, 7, 11;  18:9;  22:29;  24:30-34;  25:13;  26:24-26;  29:4.  

 

Rick Boxx é presidente e fundador da “Integrity Resource Center”, escritor internacionalmente reconhecido, conferencista, consultor empresarial, CPA, ex-executivo bancário e empresário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *