Firmar Metas Por Mais Que Recompensas

Firmar Metas Por Mais Que Recompensas

Maná da Semana

Que fatores você incluiria ao estabelecer as metas que busca atingir todos os dias? Muitos empresários e profissionais encaram metas e resultados como coisas permanentemente entrelaçadas. Por exemplo, metas podem ser expressas em termos de recompensas esperadas. Entretanto, tal modo de pensar pode se tornar uma visão estreita. 

 

Max DePree faleceu no ano passado, mas sua sabedoria permanece. Ele dirigiu a Herman Miller, empresa de móveis para escritório, por várias décadas, buscando dar uma voz que fosse ouvida a cada pessoa dentro da organização.  Em consequência disso a empresa ficou conhecida por sua atmosfera inclusiva e atenciosa. Notável executivo empresarial e autor de cinco livros, inclusive “Liderar é uma Arte” e “Leadership Jazz” (algo como o Jazz da Liderança), DePree observou: “Metas e recompensas são apenas partes, diferentes partes, da atividade humana. Quando as recompensas se transformam em nossas metas, estamos apenas buscando uma parte do nosso trabalho.”

 

Talvez os títulos de dois de seus outros livros, “Called to Serve” (Chamado para Servir) e “Leading Without Power: Finding Hope in Serving Community” (Liderar sem Poder: Encontrando Esperança em Servir a Comunidade), apresentem uma pista do que DePree queria dizer com a armadilha de considerar metas e recompensas como uma só coisa. As recompensas podem assumir muitas formas, mas geralmente servem apenas ao próprio interesse; estão focadas em maiores compensações, avanços profissionais, prestígio e poder. Ou a empresa estabelece metas apenas para aumentar seus lucros ou expandir sua parcela de mercado. 

 

Embora tais metas não estejam intrinsecamente erradas, podem nos impedir de abraçar metas de impacto e significado mais amplos, tais como ajudar outros a crescer profissionalmente, de modo a alcançarem seu potencial; ainda que isso implique em obter oportunidades que vão além do seu emprego atual.  Ou então, projetar uma visão para que a companhia se torne um vizinho valorizado na comunidade na qual se insere. Ou ainda desenvolver programas que abordem necessidades específicas tanto dentro quanto fora da organização.  

 

Essas coisas podem resultar num senso de gratificação, mas não irão necessariamente aumentar os lucros corporativos ou os ganhos anuais de ninguém. Como DePree sugeriu, o estabelecimento de metas não considerando recompensas pode, em última análise, provar que é, poderíamos dizer, mais recompensador. Aqui estão alguns princípios de Provérbios que tratam da importância tanto de dar quanto de receber:

 

Dar pode ser muito gratificante.  Ás vezes, um ato de generosidade resulta em retornos tangíveis mais tarde. Ou ele pode simplesmente proporcionar a satisfação de prestar ajuda a outros. “Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza. O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá.”  (Provérbios 11:24-25). 

 

Servir aos outros é um ato de serviço a Deus.  Ás vezes temos a tendência de pensar “Alguém vai ajudar essas pessoas”. Em alguns desses casos, Deus pode querer que sejamos nós a proporcionar a assistência necessária. “Quem trata bem os pobres empresta ao Senhor, e Ele o recompensará.” (Provérbios 19:17). 

 

Estabelecer metas que vão além das recompensas tangíveis testa a motivação.  As linhas que separam certo e errado podem facilmente ser obscurecidas por metas estabelecidas somente com base em recompensas pretendidas. As metas estabelecidas considerando primeiramente os interesses de outras pessoas ajudam a iluminar as motivações internas. “Todos os caminhos do homem lhe parecem justos, mas o Senhor pesa o coração.”  (Provérbios 21:2).

Questões Para Reflexão ou Discussão   

1. Qual o processo que você usa para estabelecer metas? Você geralmente tenta tornar suas metas mensuráveis e atingíveis?

2. Você concorda com a afirmação de DePree: “Quando as recompensas se transformam em nossas metas, estamos apenas buscando uma parte do nosso trabalho”? O que você entende que ele quis dizer com isso? 

3. Como podemos estabelecer metas que não sejam baseadas em recompensas? Num ambiente onde venda e lucros podem representar a diferença entre sucesso e fracasso, até mesmo sobrevivência, você acha que é realista estabelecer metas sem ligá-las a recompensas específicas?

4. Qual dos princípios extraídos de Provérbios é mais significativo para você? Explique sua resposta.

 

Nota: Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Provérbios 16:2;  17:3;  28:27;  31:8-9;  Efésios 2:10; Colossenses 3:17, 23-24.  

 

Robert J. Tamasy, é jornalista, editor e escritor, e autor de "Business at Its Best: Timeless Wisdom from Proverbs for Today's Workplace" e "Tufting Legacies" (ainda não traduzidos para o português).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *