Trabalhar com Pessoas Quando É Difícil

Trabalhar com Pessoas Quando É Difícil

Maná da Semana Para Ler
A maioria de nós passa mais tempo no trabalho do que em qualquer outro lugar. Ali, precisamos interagir com pessoas para que as tarefas sejam feitas, suportar colegas, satisfazer clientes e contribuir para que as metas da organização sejam atingidas. Entretanto, nem todas as pessoas são fáceis para se trabalhar com elas.

Todavia, Jesus Cristo nos diz que amar a Deus necessariamente significa amar nosso próximo – mesmo aqueles que poderíamos considerar mais como inimigos (Mateus 5:43-48). E a qualidade do amor que Ele requer que estendamos ao nosso próximo é radical: “…Ame o seu próximo como a si mesmo…” (Marcos 12:31). Amar alguém da mesma maneira que amamos a nós mesmos essencialmente significa cuidar das necessidades dos outros com o mesmo senso de urgência e tenacidade com que buscamos satisfazer nossas próprias necessidades.

Jesus moldou este amor por nós ao longo de Seu ministério e, por fim, na cruz. Ele compreendeu mais do que ninguém o preço que devemos pagar para amar as pessoas com a mesma intensidade com que amamos a nós mesmos. “Agora Meu coração está perturbado, e o que direi? Pai, salva-Me desta hora? Não; Eu vim exatamente para isto, para esta hora.” (João 12:27).

Sendo assim, como podemos praticar e amar as pessoas, especialmente quando isso é difícil? Considere estas duas práticas da próxima vez que você encontrar alguém numa situação assim desafiadora:

Olhe primeiro para dentro. Olharmos para dentro de nós mesmos em primeiro lugar, quando encaramos conflitos, exige coragem. Em situações de muita pressão, a maioria das pessoas olha para fora. Elas encontram razões fora delas mesmas para seus problemas. Elas culpam os outros ou a situação, procurando por desculpas. Entretanto, o Senhor nos pede que olhemos para dentro de nós. Devemos assumir pessoalmente a responsabilidade pelo que está acontecendo e pelo que necessita ser feito, mesmo quando as circunstâncias ou as outras pessoas tenham uma clara participação no episódio.

Quando enfrentar situações ou pessoas difíceis, pergunte a si mesmo: “O que fiz para ajudar a criar a situação e o que eu, pessoalmente, preciso fazer a respeito disso? O apóstolo Paulo serviu de modelo para tal comportamento ao lidar com conflitos dentro da Igreja. Primeiro, em seus escritos, ele disse que se considerava “…o menor dos apóstolos e nem sequer mereço ser chamado apóstolo…” (I Coríntios 15:9). Mais tarde, Paulo se referiu a si mesmo como o pior dos pecadores (I Timóteo 1:15). O apóstolo tinha uma aguda percepção de si mesmo. Conhecer a nós mesmos nos capacita a fazer escolhas conscientes e intencionais quanto à forma pela qual reagimos às pessoas e situações.

Trabalhe com compaixão. Compaixão pode ser definida como “empatia em ação”. Estarmos abertos aos outros nos capacita a enfrentar tempos difíceis com criatividade e resiliência. A empatia nos leva a nos conectarmos com as pessoas. Isto nos ajuda de forma poderosa e eficiente a cumprir nossas tarefas e lidar com o estresse e os sacrifícios inerentes à liderança. Requer-se de nós que nos importemos o bastante para querer aprender sobre as outras pessoas, sentir o que elas sentem, ver o mundo da forma como elas o veem, e então, fazermos alguma coisa com aquilo que aprendemos.

A parte mais desafiadora de se trabalhar com compaixão é que não podemos supor ou esperar que igual troca de compaixão seja direcionada a nós. Compaixão significa dar altruisticamente. Encontramos essa capacidade de compaixão em Jesus, que disse na cruz enquanto olhava para as pessoas que O crucificavam: “…Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo…” (Lucas 23:34). Que pedido extraordinário!

Questões Para Reflexão ou Discussão

Quem são as pessoas mais difíceis de amar em seu ambiente de trabalho?
Como seria se você se esforçasse para ao encontro das necessidades delas esta semana com a mesma energia que usa para satisfazer as suas necessidades?
Pense num conflito recente. Olhe para dentro de si e pergunte-se: “Qual a minha parte na criação dessa situação? O que preciso fazer a respeito agora?
Se você procurasse ter empatia e compreender a experiência de outra pessoa nesse conflito, o que teria feito de forma diferente para demonstrar compaixão?

Nota: Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Lucas 10:25-37; Mateus 5:43-48; 25:31-46.

Mike Reading é diretor do Workmatters Institute, ministério voltado para o mercado de trabalho e que capacita jovens profissionais a desenvolver uma paixão pelo trabalho centrada em Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *